Fome e sede de delivery

Updated: Apr 24

Entrega se transforma no aparelho de respiração do comércio. Com tantos cuidados a serem tomados, não faltam histórias engraçadas dos motoboys


Fabio Matheus peganto produtos na Cirúrgica Carioca para entregar. Banho de álcool gel

“Vamos, meu filho, levanta o braço”.


A frase acima não foi dita durante alguma abordagem policial. Mas a pessoa que falou também anda armada. A sua pistola, porém, é de plástico e dispara álcool. O sujeito que coloca os braços para o alto é o motoboy Fabio Matheus (foto).


“Fui fazer uma entrega no Riviera e a senhora já abriu a porta falando isso. Depois, foi borrifando álcool na minha direção”, conta ele, que trabalha para diversos aplicativos e realiza entre 20 a 30 entregas por dia. O serviço de delivery disparou no bairro com a pandemia de coronavírus,

“Passamos de cinco entregas por semana para cerca de 40 por dia”, revela o proprietário da loja de produtos médicos, Cirúrgica Carioca, Mark Pizzi.

O motoboy Matheus, que também realiza entregas para Mark, conta que, muitas das vezes, deixa a mercadoria na porta junto com a máquina de cartão e o morador pede para ele se retirar. “O pagamento é feito, o cliente deixa o cartão no tapete e fecha a porta. Depois eu pego a maquininha e vou embora”, relata Matheus, lembrando ainda que não pode entrar em muitos prédios e, em outros, precisa fazer uma higienização antes de subir.

“Mas eu tenho meu próprio álcool gel e tomo todos os cuidados possíveis”, garante o motoboy. “Uma senhora ia entrar no elevador que eu estava outro dia e preferi sair e descer de escada”. Márcio Pessoa, que também trabalha com entrega de mercadorias, foi outro que levou banho de álcool. “Mal saí do elevador no andar do cliente e quando olhei ele estava com essas máscaras que só tem em filme, de roupa plástica e luva. Levei um susto, mas sorte que ele foi bem educado. Apenas colocou o álcool gel em minhas mãos e pediu para eu passar nos braços”, conta o entregador.

Mãe e Filha colocam a mão na massa

Quando não tem motoboy envolvido, mãe e filha colocam a mão na massa para realizar as entregas. É o caso de Valéria e Illana Braga , que entregam produtos da Viva Leve Gourmet.

Illana e Valéria realizando uma entrega no Bosque Marapendi

“Antes da quarentena, já realizávamos entregas e tínhamos como ponto fixo a Feira do Bem, no Città. Com o distanciamento social, as entregas dobraram. Percebemos uma diferença grande”, conta Illana, que, com a suspensão das aulas do último ano de medicina, começou a trabalhar com a mãe.

“Entregamos alimentos sem glúten, sem lactose, sem açúcar refinado, sem conservantes e para consumo imediato! Parece um sonho, né?”, comenta Valéria.

Pelo Downtown, a proprietária do restaurante vegano Cuisine Vert Bistrô, também coloca a mão na massa e já foi entregar pessoalmente comina no Leblon e no Recreio. “Os pedidos estão aumentando muito”, conta Ercília Reis. OS CONTATOS DOS DELIVERYS

Cirúrgica Carioca: 99851-7003. Representante Viva Leve Gourmet:

97674-7625 Cuisine Vert - Buffet Vegano:

99607-2309

_________________________________________________________________________________


CADERNO ESPECIAL - BARRA PRIME OFFICES


O paraíso da entrega

Com mercado, farmácia, pet shop, Lojas Americanas Express, atelier que fabrica máscaras, doceria, padaria e pizzaria, condomínio se destaca em meio à crise


Com o condomínio Barra Prime por perto fica mais fácil de enfrentar a quarentena. Somente de serviços delivery o lugar dispõe de um supermercado, uma farmácia, uma doceria, pet shop, uma pizzaria, entre outros. Até o atelier que existe no local passou a entregar máscaras de tecido artesanais sob encomenda. Na maioria das vezes, os serviços de entrega são gratuitos.

É o caso das já famosas pízzas argentinas do restaurante Até. “São diferentes. O argentino, por exemplo, gosta da calabresa com muita cebola. Todos os ingredientes são fartos”, comenta o proprietário argentino, Luiz Maria, que, além do festival de pizzas, organiza também, diariamente, um festival de caldos. Em plena crise, por apenas R$ 10, o morador leva um caldo para casa. Tem caldo verde, mocotó, legumes com carne, caldo de ervilha, canja, entre outras opções.

Com estampas variadas, as máscaras do Ponto a Ponto Atelier também fazem sucesso no condo-mínio. Feitas de tricoline, elas possuem duas camadas de tecido e são dupla face. Quem não faz entrega, leva o estúdio de pilates para dentro das mídias sociais, como o estúdio III Pilares e suas dicas de exercícios respiratórios, entre outras técnicas.

© by A Folha do Bosque

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • Twitter - Black Circle