top of page

Psicoterapia cognitiva no Parc

Flávia Dallalana, em pé, com moradoras do condomínio Le Parc, em mais uma tarde de atividades trabalhando a memória, a coordenação motora e socializando

A população brasileira está envelhecendo. Dados do censo demográfico de 2022, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no mês passado, revelam que a população idosa do Brasil chega a quase 16%. Este é o maior percentual da história e só tende a aumentar.


O envelhecimento populacional traz diversos desafios nas áreas financeira, social e da saúde. De forma a minimizar problemas futuros, é preciso investir em iniciativas que promovam o envelhecimento saudável.


Na Barra da Tijuca, os residentes do condomínio Le Parc têm a sorte de contar com a assistência da moradora Flávia Dallalana da Costa que, por inciativa própria, transformou uma das salas de uso comum do condomínio em um espaço para promover atividades com os idosos.


Formada em administração de empresas, Flávia é pós-graduada em psicopedagogia e neurociências. Por 20 anos, trabalhou na área pedagógica. Ao iniciar um trabalho voluntário, começou a inserir os idosos no mundo da tecnologia, ensinando-os o uso do celular. “Me apaixonei. Comecei a estudar toda a parte cognitiva do idoso e retornei aos estudos na área.”, recorda.


Seu trabalho no Le Parc tem o objetivo de manter os idosos ativos cognitivamente, socialmente e emocionalmente. Na salinha recheada de livros, material escolar e brinquedos, pois o local também é frequentado por crianças, Flávia aplica diversos exercícios de terapia cognitiva, que estimulam o cérebro para mantê-lo saudável por mais tempo. São atividades que vão desde jogos de tabuleiro e exercícios de memória, até musicoterapia, arteterapia, entre outras. As frequentadoras do grupo socializam uma com as outras e fazem dali o ponto de partida para passeios e outras atividades.


“Elas têm até grupo no WhatsApp para fofocar e combinar os almoços.”, diz Flávia. Sobre a importância da terapia cognitiva, ela conclui: “Idosos ativos podem manter e preservar sua cognição e funções executivas. Idosos com declínio (as diversas demências), não podemos curar. Mas minimizar e, às vezes, estagnar a queda cognitiva, sempre com o objetivo de longevidade com qualidade de vida para ambos os casos”.


Além do trabalho no Le Parc, Flávia tem um espaço na Barra onde atende crianças, adolescentes e idosos. Fazem parte da sua equipe: psicopedagogas, fonoaudiólogas, psicólogas, entre outros profissionais.


- Para saber mais sobre as atividades no Le Parc e incentivar o seu condomínio a criar algo semelhante, visite o Destaque ‘Barra Masters’ em nossso instagram clicando aqui.


- Visite também Flávia Dallalana:

WhatsApp: (21) 999567-7810.


Para ler o artigo científico escrito pela Flàvia sobre A Importância da psicopedagogia na estimulação cognitiva em Idosos - CLIQUE AQUI

Kommentare


bottom of page