Principal fornecedor de armas do CV é preso em condomínio de luxo na Barra

Com vida de rei, no momento da prisão ele estava a abordo de um Mercedes avaliado em mais de R$ 150 mi

O momento da prisão/Divulgação

Apontado pela polícia como principal fornecedor de armas da organização criminosa Comando Vermelho (CV), o criminoso conhecido como “Felipe Jaqueta“ foi preso nesta quarta-feira (05), no condomínio Majestic, um prédio de luxo do Cidade Jardim, na Barra da Tijuca.


Com extenso histórico criminal, segundo a Policia Civil, o criminoso - que articulava a compra de munições vindas dos EUA para as comunidades dominadas pela facção criminosa - tinha uma vida de luxo. Ele se passava por um latifundiário e negociador de cavalos para hipismo clássico, além de ostentar carros valiosos. No momento de sua prisão, o acusado dirigia um veículo Mercedes Benz, modelo CLA180, avaliado em mais de R$ 150 mil.

A área residencial onde ele foi capturado, é a mesma em que Dr. Jairinho foi preso, suspeito da morte do menino Henry Borel.

INVISTA EM VOCÊ! CLIQUE AQUI e confira os cursos online da Folha do Bosque.


O fornecedor teria proximidade com o líder da facção Marcinho VP, Márcio dos Santos Nepomuceno, que está atualmente preso em um presídio do Paraná. O carro Mercedez, inclusive, seria de propriedade da cunhada de Marcinho.


Felipe Jaqueta - que responde pelos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico, estelionato, receptação, porte ilegal de armas de fogo de uso restrito, e roubo qualificado - também teria sido o mentor de um grande roubo a uma loja, ocorrido em janeiro deste ano, no município de Iguaba, na Região dos Lagos do Rio.

Em janeiro deste ano, o acusado conduzia um veículo roubado, modelo Volvo XC60, avaliado em cerca de R$ 300 mil reais, no momento que foi abordado por uma equipe de policiais da Delegacia da Penha (22ªDP). Ele conseguiu fugir e apenas a sua acompanhante foi capturada.


Naquela ocasião, a acompanhante levou os policiais até a residência do acusado, onde foram encontradas cinco armas de fogo de uso restrito, carregadores, munições, além de anotações de contabilidade de venda de armas de fogo com movimentações de valores superiores à R$ 500 mil.