Frequência perfeita

Cardiologista e geriatra que atende na Barra, o Dr. Bergsom Bastos se destaca também na internet esclarecendo dúvidas de pacientes e vira o queridinho dos moradores do bairro

Seu consultório no Barra Prime Offices, no coração do Bosque Marapendi, pulsa com vitalidade. Cardiologista e geriatra, aos 49 anos, o Dr. Bergsom Ribeiro Bastos se transformou no médico queridinho dos moradores. Jovem e experiente ao mesmo tempo – com pai e avô médicos, desde os 9 anos ele frequenta a área de saúde – o médico ganha fama também na internet. Contratou os serviços da Fdb.digital – braço da editora Folha do Bosque que gerencia mídias sociais e toda a parte virtual. Com um site enxuto, Facebook atualizado e Instagram dinâmico, passou a explicar em vídeos diversas dúvidas da cardiologia e geriatria. Resultado: precisou adquirir a sala do lado do seu consultório, recentemente, para acomodar os seus pacientes. Batemos um papo com a fera, que também é médico cardiologista e geriatra do hospital Souza Aguiar e realiza em seu consultório exames como ecocardiograma, doppler das carótidas e vertebrais.


Depressão ou início de demência, como diagnosticar algo tão complexo?

“Realmente esse é um dos diagnósticos mais difíceis da geriatria. Os sinais e sintomas são muito parecidos Para identificar a linha tênue entre a depressão e a demência, precisamos de avaliações contínuas do paciente que permitam avaliar e determinar o tratamento específico, fazendo assim o diagnóstico correto”.


Rivotril e Lexotan causam demência em idosos?

“O uso de sedativos e ansiolíticos para idosos é um assunto muito importante. Essa classe de medicamentos, principalmente os benzodiazepínicos, como Rivotril, Lexotan, Lorax, de uso prolongado, podem, sim, causar demência, problemas de esquecimento e memória. Reações inversas também são comuns. Ao invés de diminuir a ansiedade, eles podem potencializar o problema. Tais medicamentos devem ser prescritos apenas por um período curto. Hoje em dia temos outros tipos de remédios que fazem o mesmo efeito sem riscos”.


Problemas de memória e demência estão relacionados a problemas cardiovasculares?

“Sim. Existem, por exemplo, micro AVCs imperceptíveis, que o paciente só descobre através de exames de imagens e que somados, podem levar a demência. Quando o paciente descobre, já está com um quadro de demência originado por um problema cardiovascular. A depressão, por sua vez, entre outros problemas, abaixa a imunidade e pode gerar infecções e problemas cardiovasculares. Daí a importância dos exames de imagem”.


Um destes exames seria o ecodopler das carótidas?

“Sim ele é de suma importância , pois consegue detectar placas e entupimentos nas carótidas, as artérias que levam o sangue do coração para o cérebro. Eles conseguem identificar se essas placas, às vezes até pequenas, podem romper e causar um coágulo, entupindo as carótidas e causando AVCs”.


Atletas adolescentes e adultos jovens devem frequentar o cardiologista?

“Com certeza. Principalmente se eles têm pai avós ou parentes com doença cardiovascular. Os atletas de fim de semana também correm um risco muito grande se praticam esportes sem nenhuma avaliação cardiológica”.


Até que ponto o uso de energético com álcool, a famosa vodca com energético da garotada, é perigoso?

“Não se deve usar energético de qualquer tipo misturado com álcool. Faz muito mal. Aumenta a frequência cardíaca, a pressão e a probabilidade de a pessoa que está bebendo ter arritmias ou eventos cardiológicos fatais. Isso já aconteceu algumas vezes”.


Muito se fala do ajuste dos remédios para a pressão. Como devem ser feitos?

“Esses ajustem devem ocorrer de acordo com as épocas diferentes do ano. No verão, os pacientes que usam esse tipo de medicamento podem ter baixa de pressão e os remédios podem ser ajustados para baixo. No inverno, normalmente, os medicamentos devem ser ajustados para cima, pois é uma época que a pressão arterial se eleva”.


O risco de AVCs e infarto nas baixas temperaturas é maior? O que pode ser feito para reduzir estes riscos?

“Sim. As temperaturas baixas fazem com que os vasos fiquem mais fechados, favorecendo o entupimento das artérias. No cérebro pode causar o AVC e no coração, o infarto. A primeira coisa muito importante a ser feita para se precaver é beber bastante líquido. Isso vai diminuir a viscosidade do sangue e melhorar a sua fluidez. A outra coisa importante é o ajuste da dose dos remédios hipertensivos, mantendo a vasodilatação e evitando o problema da constrição dos vasos”.


Internar o idoso em uma casa geriátrica pode piorar os problemas?

“Sim, a institucionalização de idosos só deve ser utilizada em último caso. Internar pais ou parentes em uma casa geriátrica pode agravar quadros, como depressão e demência e até outros problemas mais sérios. A referência emocional do idoso e o carinho familiar são muito importantes na recuperação”.


Idosos dormem pouco. Isso pode ser um problema?

“A diminuição do número de horas de sono é normal. Eles dormem de cinco a sete horas geralmente. Mas se esse sono for conturbado ou se houver uma maior diminuição nessas horas, há necessidade de tratamento, para evitar prejuízos cognitivos, à e à concentração”.


A espiritualidade é importante no tratamento da doença?

“Em várias áreas da medicina foram comprovadas, por meio de trabalhos científicos, uma melhora muito grande nos pacientes que tem fé, que acreditam em Deus, independentemente de religião. A fé já se mostrou eficaz no tratamento de quase todas as doenças, principalmente nas doenças cardiovasculares e oncológicas”.


O Dr. Bergsom Bastos atende em seu consultório no Barra Prime Offices.

Endereço: Avenida Afonso Arinos de Melo Franco, 222, bloco 2A, sala 225.

Tels.: 3283-7607 / 97227-6667.

Site: www.bergsombastos.com.br

Instagram: @dr.bergsombastos

Facebook: /Dr.BergsomBastos


O Dr. Bergsom na Capa da Folha de setembro




© by A Folha do Bosque

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • Twitter - Black Circle