top of page

Cuidados para um cérebro saudável

Como ter um cérebro saudável por mais tempo


Processo natural e inevitável, o envelhecimento cerebral é marcado por alterações estruturais e funcionais que impactam nossa cognição, memória e comportamento. A medida que os anos passam ficamos, por exemplo, mais esquecidos. Hoje em dia, porém, pessoas jovens reclamam de falta de memória. Será que nossos cérebros estão envelhecendo mais rápido? Será possível frear esse processo? Conversamos com o neurologista Christian Neurath, que tem consultório aqui na Barra, para entender melhor sobre o assunto.

 

Doutor, primeiramente vamos falar da memória porque atualmente  até pessoas jovens reclamam que estão esquecendo as coisas rápido demais. Por que isso acontece?

 

“O esquecimento pode ser causado por uma variedade de fatores. Atualmente, por exemplo, existe uma sobrecarga de informações e múltiplas tarefas. Nos mais jovens, acontecem doenças mentais como ansiedade, depressão, TDAH. Nos mais idosos, o envelhecimento natural e as doenças neurodegenerativas são as causas mais comuns de falhas de memória e atenção”.

 

Sabemos que o envelhecimento é um processo natural, mas é possível frear esse processo? O que podemos fazer para que o cérebro funcione bem, por mais tempo?

“Sim, existem várias estratégias, tais como: praticar atividade física regularmente, manter alimentação saudável, ter sono adequado, reduzir estresse, ansiedade, tratar as doenças mentais, manter o cérebro ativo e manter relações sociais. Além disso, tratar doenças crônicas, evitar hábitos como tabagismo e ter acompanhamento médico regular significa cuidar da saúde como um todo e também prevenir o envelhecimento do cérebro.

Aumentar a sua reserva cognitiva faz com que o cérebro funcione bem por mais tempo. A reserva cognitiva é como um tesouro que é acumulado pelo aprendizado e desafios contínuos ao cérebro no decorrer da vida, protegendo a pessoa de danos que o envelhecimento e doenças degenerativas podem causar. Isto é obtido através da educação, atividades intelectuais e vida saudável e deve ser estimulado, inclusive, depois de envelhecermos.

 

 

- O que diria sobre o celular, que pode ser usado para estudar, estimular o cérebro, mas ao mesmo tempo expõe a pessoa ao excesso de informação...

 

“Toda tecnologia pode ter efeitos positivos ou negativos na capacidade cognitiva. Eles oferecem acesso rápido a informações e podem ser usados para exercícios de treinamento cerebral que melhoram certas habilidades cognitivas. Por outro lado, ele pode distrair e diminuir a concentração nas tarefas em andamento. É importante usar smartphones de maneira equilibrada para minimizar possíveis efeitos negativos na atenção e na memória”.

 

Como saber se o nosso cérebro está envelhecendo normalmente ou se algum sintoma é sinal de doença? Geralmente não se recomendam exames neurológicos em um check up. Quando devemos fazer uma avaliação?

 

“O envelhecimento normal do cérebro pode causar pequenas mudanças na personalidade e na velocidade de pensamento, mas não afeta significativamente a memória ou a capacidade de realizar tarefas diárias. Sintomas como esquecimento rápido, dificuldades em resolver problemas comuns, alterações significativas no comportamento ou personalidade, como agitação, agressão, delírios e alucinações, podem ser sinais de doenças como Alzheimer ou outras formas de demência. Embora não seja comumente realizado, um check-up neurológico está indicado em pessoas com histórico familiar de doenças neurológicas. E se houver preocupações com a memória ou outros sintomas neurológicos, uma avaliação neurológica é necessária para uma avaliação mais apurada.


O Dr. Christian Naurath é neurologista

Sua clínica fica na Av. Afonso Arinos de Melo Franco, 222, Barra Prime, bl.1, sala 212, Barra da Tijuca Telefone: 21 3512-9188.

Comentarios


bottom of page