Boneca de pano vira gente no Teatro Bradesco

Peça comemora 40 anos da primeira exibição da série Sítio do PicaPau Amarelo na TV

Narizinho, Pedrinho, Dona Benta, Tia Nastácia, Rabicó, Visconde de Sabugosa, Saci, Cuca e, claro, Emília, a boneca de pano que virou gente estão na área! A adaptação teatral da obra de Monteiro Lobato, o Sítio do PicaPau Amarelo, celebra os 40 anos da primeira exibição da série na TV em um único final de semana no Teatro Bradesco Rio, nos dias 2 e 3 de fevereiro, às 15h. Sucesso de público desde sua estreia em novembro de 2017, o espetáculo celebra ainda os 136 anos que Monteiro Lobato completaria este ano.


A adaptação para o palco é de Ricardo Silva, que também assumiu a cenografia e a direção geral da peça. O elenco traz em cena os atores Julia Gusmão (Emília), Luiza Vieira (Narizinho), Nicolas Freitas (Pedrinho), Raquel Penner (Cuca), Cristina Fracho (D. Benta e Carochinha), Cristina Guimarães (Tia Nastácia e Graulina), Wanderson Bernardo (Saci e Tio Barnabé), Guilherme Gutierrez (Príncipe Escamado e Rabicó) e Victor Salzeda (Dr. Caramujo e Visconde de Sabugosa) dando vida aos personagens que se apresentam acompanhados por uma banda ao vivo.


Dos livros para a TV

Série de livros infantis escrita entre 1920 e 1947, virou um clássico aclamado mundo afora. Os personagens do Sítio do Picapau Amarelo, escrito Monteiro Lobato (1882-1948), saltaram das páginas dos livros para os quadrinhos e foram parar na TV. Agora, no teatro, revive as travessuras e reflexões da boneca de pano Emília, ao lado de seus amigos Narizinho, Pedrinho, Visconde de Sabugosa, Tia Anastácia e Dona Benta; entre tantos outros personagens.


"Muito mais do que apenas entreter, a Cia. Teatral Sassaricando busca com a peça Sítio do Picapau Amarelo valorizar a cultura brasileira, seus autores e suas obras; resgatar a leitura e o contato com o livro físico; estimular o contato das crianças com brincadeiras de roda, soltar pipa, tomar banho de rio, brincar com peão, entre tantas outras que fizeram parte, durante anos, da infância de muitas crianças. A peça teatral nasce no resgate lúdico, no folclore, na imaginação e na importância que ela nos oferece dentro do contexto social, político e econômico", afirma o responsável pela adaptação e direção geral da peça Sítio do Picapau Amarelo, Ricardo Silva.


"Apresentar um espetáculo com histórias adaptadas a partir desta obra, significa levar para o público infantil personagens com a essência puramente brasileira, trazendo à tona, um sentimento de resgate da nossa infância, de brincadeiras antigas de criança, de lembranças dos nossos avós e de suas histórias, e de um Brasil com seus rios, suas árvores frutíferas e sua fauna valorizados e preservados”, completa o diretor.


Sítio do PicaPau Amarelo

Dias 2 e 3 de fevereiro

Sábado e domingo, às 15h

Ingressos: de R$ 50 a R$ 80.

Teatro Bradesco Rio (Avenida das Américas, 3900 – loja 160 do Shopping VillageMall –Barra da Tijuca)



© by A Folha do Bosque

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • Twitter - Black Circle